quarta-feira, 9 de março de 2011

Livro Poções - Alguns Ingredientes

Acônito – Planta ranunculácea medicinal. Seus gêneros mais utilizados são o acônito licoctono e o acônito lapela.
Ararambóia – Serpente da região da Amazônia. Sua pele, seca, é utilizada em diversas poções.
Asfódelo – Gênero de plantas da família das liliáceas, de raiz fasciculada, com haste graciosa e elevada, dando belas flores em cachos. A parte mais utilizada é a sua raiz, que deve ser colhida ao sol intenso do meio-dia.
Balsamina – Planta da família das cucurbitáceas, originária da Índia, cujo fruto se assemelha a um ovo de pomba. Seu poder é balsamizante.
Betônica – Gênero de plantas da família das labiadas, cuja raiz é purgativa e possui um cheiro forte. As espécies mais usadas são a betônica de água e a betônica das montanhas.
Bezoar – Calcificação encontrada no estômago e intestino dos quadrúpedes, especialmente da cabra. Serve como antídoto de vários venenos.
Bicórnio – Parente distante do unicórnio, se assemelhando muito com o mesmo. Seus chifres são de tamanhos diferentes, localizados uma acima do outro.
Cumari – Espécie de pimenta, utilizada em poções estimulantes.
Descurainia – Deverá ser colhida na lua cheia.
Fígado de Dragão – Tem poder vitalizador, utilizado em poções curadoras e rejuvenescedoras.
Guelricho – Formação encontrada entre as raízes da planta galricho, que cresce nas margens dos lagos.
Hemeróbios – Gênero de insetos neurópteros que vivem na Europa e América do Norte. Geralmente são utilizados cozidos previamente, por 21 dias.
Losna – Planta herbácea, de cheiro penetrante, mas agradável. Seu sabor é aromático, mas muito amargo.
Margarida – A espécie mais utilizada em poções é a margarida-dos-campos (Chrysanthemun Leucantenum). Deve ser colhida ao entardecer de um dia de sol.
Oode – Gênero de insetos coleópteros carabídeos da Europa Ocidental. Suas antenas contêm uma substância capaz de anestesiar.
Sanguinária – Planta da família das poligônias, chamada também de sempre-noiva-dos-modernos, corriola-bastarda, ou sanguinha. Deve ser colhida logo após o anoitecer.
Teia de aranha miúda – Devem ser colhidas ao amanhecer, tendo-se o cuidado de escolher uma teia em que não haja presas, e que a mesma esteja banhada por orvalho.
Unicórnio – Seu uso em poções dá-se através dos pelos e do chifre. O mesmo é colhido na muda periódica de chifres. Como isto só acontece a cada 150 anos, são muito raros, e utilizados em pequenas quantidades. Quanto ao pêlo, deve-se pedir permissão ao animal para retira-lo.
Urtigas – Gênero de plantas da família das urticácias, encontrada em praticamente todo o globo. Tem pelos eriçados, cuja picada produz um ardor especial. Devem ser manuseadas com luvas de proteção, mesmo estando secas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário